full screen background image
euvejokate

Entrevista com Claudia Lemes, autora de “Eu Vejo Kate”.

Olá, amigos leitores! Realizei, no dia 9 de novembro de 2014, um entrevista via inbox com a escritora Cláudia Lemes, que recentemente lançou o livro “Eu Vejo Kate” (venda aqui: http://zip.net/bhqqkS).

Mãe de dois filhos, tradutora, professora e autora de cinco livros (todos em inglês, e em diversas fases de edição, tradução, revisão, publicação e divulgação), Cláudia está ficando mais conhecida pela trilogia “Woodsons”. Ela autopublicou o primeiro volume da trilogia, “Dissolution” (no Brasil, “Dissolução”), na Amazon, pelo Createspace. A obra vendeu de forma satisfatória, tanto no formato físico como e-book, aqui no Brasil, na Inglaterra, na Itália, EUA, Hungria e França, e Cláúdia, vendo um feedback tão positivo, resolveu publicar o segundo livro da trilogia, “Dalliance” (no Brasil, “Veneta”), da mesma forma. “Dissolução e “Veneta” estão sendo postados aos poucos para leitura gratuita no Widbook, aqui http://zip.net/bpqqMY(Dissolução) e aqui http://zip.net/bfqp2d (Veneta)

Em um mês, “Dissolução” estava sendo requisitado por tantas pessoas no Brasil, que Cláudia começou a fazer parceria com blogs e se dedicar ao marketing deste, e, como resultado, o número de leitores e de avaliações positivas aumentou. Influenciada por um amigo, Cláudia enviou apenas um original de “dissolução” para a Editora Multifoco, que o aceitou e lançou em outubro deste ano.

O site oficial de Cláudia Lemes é http://www.claudialemes.com/, com informações sobre a autora e sua obra, e sua página oficial no facebook é C. Lemes – Author.

 



EL: Você pode nos falar um pouco sobre seu último lançamento, “Eu Vejo Kate”?

CL: Eu vejo Kate é muito diferente dos outros livros que escrevi. Sempre incluí uma dose de violência e sexo nos meus livros, mas Kate é muito mais pesado. Tive que incluir uma carta de apresentação no livro, como uma introdução, para explicar seu conteúdo. Se ia escrever sobre serial killers, queria ser bem realista, e não tem como falar sobre esse assunto sem ser com violência. Não é um livro para todo mundo.
Para quais leitores você recomenda seu livro?

Acho que Eu Vejo Kate é para qualquer pessoa que curte policiais, que tem curiosidade pr serial killers, que gosta de investigação, e que consegue encarar personagens que não são perfeitinhos ou estereotipados. Até agora a resposta tem sido ótima, de mulheres e homens.

EL: Ao contrário de “Dissolução”, que tem um bom público no exterior e que foi lançado no Brasil pela Editora Multifoco, “Eu Vejo Kate”, no momento é um lançamento independente. Você pode nos dizer o por que de sua escolha em começar a carreira fora do Brasil?

Cláudia Lemes, 35 anos, nascida na cidade de Santos, tem 4 livros lançados, incluindo a Trilogia Woodsons. Sua principal inspiração é o comportamento humano, em todas as suas formas. Seus autores favoritos são Franck McCourt, Stephen King, Anne Rice, James Ellroy e Lionel Shriver.

Cláudia Lemes, 35 anos, nascida na cidade de Santos, tem 4 livros lançados, incluindo a Trilogia Woodsons. Sua principal inspiração é o comportamento humano, em todas as suas formas. Seus autores favoritos são Franck McCourt, Stephen King, Anne Rice, James Ellroy e Lionel Shriver.

CL: Eu morei fora muito nova, e acabei perdendo muito do português. Sempre me senti mais à vontade escrevendo em inglês e achei melhor autopublicar lá fora, em inglês mesmo. Só comecei a traduzir meus livros por pressão dos amigos. E hoje vendo mais livros aqui do que lá fora. Estou tentando criar minha base de leitores no mundo todo, e isso leva muito tempo. Mas hoje tenho mais carinho pelos leitores daqui, pelo feedback que me dão, a propaganda que fazem, etc

EL: As resenhas sobre suas obras nas redes sociais Skoob, IndieCando e na americana Goodreads tem sido bastante positivas, e eu notei, em especial, os elogios sobre a trilogia Woodsons. Há alguma novidade sobre o próximo volume a ser lançado?

CL: Por mais que Eu Vejo Kate, na minha opinião, seja meu melhor até hoje, a Trilogia Woodsons será sempre minha preferida. Estou no momento terminando a tradução do segundo volume, que em inglês tem o título “Dalliance” e em português o título provisório de Ilusão. Acho que será lançado em Janeiro /15, e também planejo deixá-lo independente até me acertar com minha editora atual ou uma nova sobre detalhes.

Em inglês, o último livro da trilogia será lançado ainda esse ano.

EL: Qual o nome do último livro?

CL: O último livro é Absolution, que provavelmente terá o título em português como Absolvição. É o melhor da trilogia e fecha a história da família Woodson perfeitamente

EL: E você também tem engatilhado um spin off do universo Woodsons, um Western chamado Eliesse. Pode nos falar um pouco sobre?

CL: AH, Eliesse eu escrevi com o coração, sem intenção nenhuma de publicar, mas ficou bem interessante. Ele é um spin off porque pega uma personagem que é apenas mencionada de leve no final de Absolvição, e conta a história inteira dela, envolvendo outras personagens do universo Woodsons. É um livro relativamente pequeno, 350 páginas, e um western que homens e mulheres podem apreciar.

EL: E a intenção ainda é não publicar, ou o público pode ter esperança de ler Eliesse?

CL: Acho que publico sim

EL: Excelente notícia!

Falando sobre você: além de tradutora, escritora e professora, você também é formada em moda! Pode nos falar um pouquinho sobre isso?

CL: Bom, eu amei minha faculdade. Na época era o primeiro curso de moda voltado para negócios, e a indústria têxtil no Brasil estava naquele momento glorioso. Adorei o que aprendi, as amizades que fiz, etc, mas me desiludi com o mercado mesmo antes de entrar nele. Então optei por continuar dando aulas, coisa que sempre amei fazer, e faço até hoje. São quase 20 anos como professora.

EL: Enfim, eu adorei fazer essa entrevista com você! Tem algum recado para os seus fãs, antes de encerrarmos?

CL: Hmmm, não sei se tenho fãs, prefiro “leitores”, ahahhaha, mas só queria agradecer o apoio que sempre recebi, principalmente dos blogueiros e resenhistas. Aos poucos meus livros estão caindo na boca do povo e estou construindo uma boa base de leitores fiéis. Isso não se faz sozinho, então sinto apenas gratidão por todos.



Raniere Sofia, 33 anos, criador da Encontros Literários, leonino, nascido em Angra dos Reis, morador do Rio de Janeiro, vascaíno, escritor, estudante de Estatística na UERJ, fã de Stephen King, Tolkien, Star Wars, Marvel, C.S. Lewis, Douglas Adams, e Doctor Who (começou a acompanhar a série clássica em 2014). Leitor compulsivo e cinéfilo.