full screen background image
13342090_1641245659534213_37776582_n

As várias versões do terror em Um Passado Sombrio

Um grupo de sete jovens é atraído por Spencer Mallon, um guru de índole duvidosa, e todos são convencidos a participar de um perigoso ritual. Tal ritual acaba matando um jovem, além de deixar outro desaparecido, uma cega e um louco. A influência de Spencer Mallon também causou males (além dos causados pelo ritual liderado por ele); dos três jovens que não sofreram nenhum mal físico, uma perdeu toda empatia que tinha por qualquer pessoa, outro largou os estudos e foi viver roubando e o terceiro resolveu seguir os passos de Mallon e virou um fracassado. Um único jovem, Lee Harwell, namorado de Eel (que ficou cega), decidiu não se juntar ao “rebanho” e nunca entendeu o que houve no dia das reuniões. Porém, após um episódio em uma lanchonete e após ler sobre uma série de assassinatos de um serial killer e associá-los ao rapaz que morreu no ritual, Lee resolve investigar o que houve naquele dia tão fatídico. Em Um Passado Sombrio, o autor Peter Straub leva o leitor para o meio dessa investigação.

 

Um Passado Sombrio é um livro difícil. Sua narrativa tem diversas perspectivas, e a história é contada na versão de cinco personagens. As perspectivas do livro variam: a principal é contada em primeira pessoa, através do olhar de Lee Harwell; Em outras partes, a história é contada em primeira pessoa, sendo a narração de algum dos envolvidos no ritual, ou em terceira pessoa. Durante a narração de alguns relatos, Peter Straub começa em primeira pessoa e logo depois passa para terceira pessoa e, quando algum personagem (no presente) interrompe a narrativa, muitas vezes esta não é sinalizada com parênteses nem itálico.

 

As partes mais confusas são as contadas por Hootie, o personagem que foi internado em um hospício. Após o ritual, Hootie passa a se comunicar apenas usando partes de livros que ele já leu (principalmente A Letra Escarlate, de Nathaniel Hawthorne, e o Dicionário de Palavras Desconhecidas, Estranhas e Absurdas do Capitão Leland Fountain). Hootie tem uma melhora quando reencontra seus amigos, mas seus relatos (principalmente o primeiro deles) acabam misturando presente com passado.

 

A história, tanto a investigação de Lee Harwell quanto os relatos, é contada de forma não linear. Os relatos de cada personagem se mesclam com o passado deles, com suas impressões acerca de outros personagens e seus próprios conceitos e preconceitos. As diferentes versões contadas pelos personagens acabam virando um “telefone sem fio”, às vezes se complementando, às vezes se contradizendo. Cabe aos leitores e leitoras decidirem quais versões são mais confiáveis.

 

Peter Straub mostra uma genialidade além dos limites neste livro. Contado no estilo de narrativa do filme japonês Rashomon, onde o espectador conhece diferentes versões da história e a compreensão da verdade (que não será absoluta) depende da interpretação de cada telespectador, Um Passado Sombrio é o tipo de livro que a cada leitura, os leitores e leitoras entenderão de uma maneira diferente. Os fãs de terror e suspense irão se deliciar com esse livro!

Ficha técnica:

Título: Um Passado Sombrio
Título original: A Dark Matter
Autor: Peter Straub
Editora: Bertrand Brasil
Formato: Brochura
Edição: 1º
Ano de copyright: 2010
Ano da edição: 2016
Número de páginas: 392
Tradução: Mariana Slade
ISBN: 978-85-286-2048-1



Raniere Sofia, 33 anos, criador da Encontros Literários, leonino, nascido em Angra dos Reis, morador do Rio de Janeiro, vascaíno, escritor, estudante de Estatística na UERJ, fã de Stephen King, Tolkien, Star Wars, Marvel, C.S. Lewis, Douglas Adams, e Doctor Who (começou a acompanhar a série clássica em 2014). Leitor compulsivo e cinéfilo.