full screen background image
whatsapp-image-2016-11-23-at-13-31-39

O Quarto Dia, de Sarah Lotz, é tão aterrorizante quanto seu livro de estréia, Os Três

Não tem melhor frase sobre o cruzeiro O Belo Sonhador, onde se passa a história de O Quarto Dia, do que a dita por Stephen King: “(…) Esse cruzeiro veio direto do inferno”. A viagem durou oito dias, quatro de calmaria e quatro de um terror de gelar o sangue. Sarah Lotz, mais uma vez, leva o leitor ao limite do medo.

 

Os capítulos de O Quarto Dia, todos em terceira pessoa, são sempre focados em um personagem específico, os quais são chamados (nos nomes dos capítulos) de: “A Assistente da Bruxa”, “O Condenado”, “A Criada do Diabo”, “As Irmãs Suicidas” (focado em duas personagens), “O Anjo da Misericórdia” e “O Guardião de Segredos”. Tais títulos referem-se ao passado destas pessoas ou ao objetivo delas no navio.

 

O enredo do livro é muito bem construído e a prosa de Sarah Lotz é excelente, fazendo o leitor ter uma experiência vívida e horripilante com o livro. Porém, ao contrário de Os Três, onde o final ficou claro e foi excelente, o desfecho de O Quarto Dia ficou bem confuso. Talvez esta tenha sido a intenção da autora e, pessoalmente, gosto de finais que atiçam a curiosidade do leitor ou espectador, fazendo-o se perguntar o que acontece depois ou precisar debater sobre o que aconteceu. Mas o final desta trama ficou tão confuso que me deixou completamente perdido, sem ter ao menos um ponto seguro para me apoiar e começar a desembaralhar este desfecho na minha cabeça. A sensação foi que Sarah Lotz “perdeu a mão”. Apesar disso, o livro é, sim, muito bom!

 

Qual o meu conselho para o leitor da Encontros Literários? Leia Os Três primeiro! Tanto em Os Três quanto em O Quarto Dia, Sarah Lotz entrega um quebra cabeças nas mãos do público, sendo que no primeiro livro, um romance epistolar contado através de recortes de notícias e fragmentos de conversas e entrevistas, o leitor precisa juntar as peças para saber o destino das três crianças sobreviventes dos desastres de avião (e a experiência que Sarah Lotz proporciona é bem real) e no segundo livro o leitor quer descobrir o porquê do cruzeiro O Belo Sonhador ter aparecido sem nenhuma pessoa a bordo.

 

FICHA TÉCNICA:

Título: O Quarto Dia
Título original: Day Four
Autor: Sarah Lotz
Editora: Arqueiro
Formato: Brochura
Ano de copyright: 2015
Ano da edição traduzida: 2016
Número de páginas: 352
Edição: 1
Tradução: Alves Calado
ISBN: 978-85-8041-538-4



Raniere Sofia, 33 anos, criador da Encontros Literários, leonino, nascido em Angra dos Reis, morador do Rio de Janeiro, vascaíno, escritor, estudante de Estatística na UERJ, fã de Stephen King, Tolkien, Star Wars, Marvel, C.S. Lewis, Douglas Adams, e Doctor Who (começou a acompanhar a série clássica em 2014). Leitor compulsivo e cinéfilo.