full screen background image
mecanico

Os bastidores do Circo Mecânico Tresalti

 

capa-circo-mecanico-limited-edition

A edição limitada e em capadura de O Circo Mecânico tem uma das capas mais lindas que eu já vi. A arte da capa, repleta de detalhes, é em auto-relevo e, como todas as publicações da Darkside, extremamente caprichada.

Eu não sabia o que esperar quando peguei para ler O Circo Mecânico Tresalti, da autora Genevieve Valentine e lançado no Brasil pela Darkside Books. A sinopse não me disse muita coisa. Portanto, quando peguei este livro para ler, dei um tiro no escuro. O tiro foi certeiro, e não demorei muito para perceber que este livro é uma das melhores ficções científicas que já pus as mãos.
Antes de falar sobre o enredo de O Circo Mecânico Tresalti, vamos definir um detalhe aqui: este livro não é um steampunk! Steampunk são ambientados no passado, o que não é o caso deste livro, o qual a história se passa em um futuro pós-apocalíptico. O mundo foi devastado por guerras e as pessoas não tem mais acesso nenhum a tecnologias. Neste mundo, onde o grande vilão é o Governo, existe um circo onde seus integrantes tem partes mecânicas no corpo, e o único objetivo desta trupe é divertir as pessoas.
Os curtos capítulos de O Circo Mecânico Tresalti alternam entre passado e presente durante boa parte do livro, e sempre muda a perspectiva da narrativa; todos os personagens do circo tem capítulos focados em si, a grande maioria em terceira pessoa. Apenas o personagem principal e único sem partes mecânicas, Little George, tem capítulos em primeira pessoa.

 

gvalentine1

A autora Genevieve Valentine. “O Circo Mecânico Tresalti”, seu livro de estréia, ganhou o Crawford Award 2012 e foi indicado para o prêmio Nebula.

Diferente de livros como It – A coisa, de Stephen King (Suma de Letras) e a série Nobres Vigaristas, de Scott Lynch (Editora Arqueiro), livros que também são divididos entre passado e presente, mas com a história em cada tempo verbal seguindo uma “linha reta”, O Circo Mecânico Tresalti é contada de forma totalmente não-linear. A autora Genevieve Valentine se preocupou mais em apresentar cada personagem aos seus leitores, mostrando seus medos, suas histórias, preconceitos, defeitos e qualidades, além das intrigas internas do circo e das disputas entre os integrantes. Esta alinearidade mantém, por um com tempo e propositalmente, o leitor sem entender bem a história do livro. Os personagens vão sendo apresentados aos poucos e, em certo momento, toda a trama é revelada de uma vez. A impressão que tive foi que uma grande cortina caiu, revelando tudo o que estava por trás de uma só vez. Exatamente como em um espetáculo!

 

13866555_1670512976607481_666488572_n

O livro tem várias ilustrações lindas, feitas pelo animador, ilustrador e quadrinista Wesley Rodrigues.

Genevieve Valentine faz O Circo Mecânico Tresalti se aproximar intimamente dos seus leitores. Lendo esse livro, vamos conhecendo devagar e profundamente de cada personagem, penetrando em sua alma, até que este vira quase um amigo íntimo. Apesar de todo o enredo, de toda a ação, este livro é sobre cada integrante do Circo Mecânico Tresalti e, ao conhecer toda a trupe, o leitor acaba virando parte do espetáculo. O Circo Mecânico Tresalti é uma das histórias mais belas que eu já li!

Ficha técnica:

Título: O Circo Mecânico Tresalti
Título original: Mechanique: A Tale of the Circus Tresalti
Autor: Genevieve Valentine
Editora: Darkside Books
Formato: CapaDura (Limited Edition)
Edição: 1
Ano de copyright: 2011
Ano da edição traduzida: 2016
Número de páginas: 320
Tradução: Dalton Caldas
ISBN: 978-85-66636-80-2



Raniere Sofia, 33 anos, criador da Encontros Literários, leonino, nascido em Angra dos Reis, morador do Rio de Janeiro, vascaíno, escritor, estudante de Estatística na UERJ, fã de Stephen King, Tolkien, Star Wars, Marvel, C.S. Lewis, Douglas Adams, e Doctor Who (começou a acompanhar a série clássica em 2014). Leitor compulsivo e cinéfilo.