full screen background image
fsdfe

Um romance de época que quebra paradigmas

Após passar dias preso na Turquia, Nicholas St. John volta para casa a procura de paz. Só que isso está longe de acontecer, principalmente após o lançamento de uma revista que classifica os melhores homens solteiros de Londres, além de listar dez passos para conquistar o cavalheiro e largar o rótulo de solteirona.

Acontece que Londres está lotada de solteironas, e Nicholas está em primeiro lugar dos candidatos a marido, o que o coloca numa posição terrivelmente desconfortável. Antigamente, talvez, ele fosse ficar satisfeito com tanta atenção, mas depois de uma profunda desilusão amorosa, ele jurou a si mesmo nunca mais cair nas garras de uma mulher.

O irmão gêmeo de Nicholas era Gabriel, o marquês de Ralston, agora casado com Callie. Nicholas, por sua vez, não carregava títulos e nem tinha família além de seu irmão. No entanto, nos tempos remotos, era conhecido como bulan, um bravo caçador que localizava pessoas perdidas, ou que haviam fugido. Aquela época já pertencia ao seu passado, mas quando Leighton, um amigo, pede ajuda para encontrar sua irmã Georgiana, Nicholas não hesita. Ele não aceitava mais aquele tipo de trabalho, mas ele não aguentaria nem mais um dia cercado por mulheres se jogando aos seus pés. Ele mesmo precisava fugir, e levou junto seu amigo Rock, que conhecera na Turquia.

Mas mal sabiam eles que Georgiana não estava desaparecida, e sim escondida. Muito bem escondida, diga-se de passagem. Isabel a acolheu na Casa de Minerva, uma propriedade que abrigava mulheres desamparadas como prostituas e outras que sofreram algum tipo de abuso e que não tinham mais para onde ir. Só que Georgiana era uma mulher da aristocrata, alguém importante e que dariam por sua falta. Isabel estava colocando em risco sua propriedade ilegal, mas nunca dispensou uma das suas meninas, e essa não seria a primeira vez.

Isabel foi obrigada a amadurecer cedo. Seu pai era um conde mais preocupado em beber e jogar do que em cuidar de sua própria família. Logo sua mãe faleceu de tanto desgosto, deixando-a sozinha com um irmão pequeno de 7 anos. Agora, James tinha 10 anos e acabara de receber o título de conde, já que o pai morrera sem deixar uma herança sequer aos dois. Isabel e James estavam jogados no mundo, e ela precisava arrumar um jeito de arranjar dinheiro para manter a casa em pé. Como ela faria? E se ela não conseguisse?

Embora estivesse tudo em suas mãos, as meninas eram anjos em sua vida, acalmando-a e ajudando na propriedade. Cada uma era responsável por uma tarefa. Mordomo, cozinheiro, professor de James. Sempre que um estranho visitava a casa, elas se vestiam de homem e fingiam trabalhar lá.

Um dia, Isabel andava pela rua, atenta em suas contas a pagar, quando foi surpreendida sendo lançada ao chão. Um homem havia a agarrado e salvado-a de ser atropelada por cavalos. E não demora muito para que ela descubra que aquele na sua frente era Nicholas, o homem que viria a salvar sua vida muitas outras vezes.

Além de deslumbrante, ele era tudo o que a revista Pérolas e Peliças dizia ser. E era exatamente do que Isabel precisava. Nicholas era um antiquário, e Isabel tinha esculturas a serem identificadas e vendidas. Ele poderia dar um jeito nisso, e então Isabel teria dinheiro novamente para sustentar a casa, pelo menos por algum tempo. Mas Nick daria um jeito de ser a solução E um grande e perigoso problema para Isabel.

Nove regras a ignorar antes de se apaixonar foi uma leitura muito agradável e satisfatória. Li algumas resenhas de Dez formas de fazer um coração se derreter antes de iniciar a leitura, e fiquei meio assustada. Eram todas negativas, dizendo que a Isabel não era carismática como a Callie, e que foi uma leitura extremamente arrastada pela chatice da personagem.

Bom, com isso eu concluo que se fulano não gostou, não significa que você vá ter a mesma opinião. Mesmo quando lemos resenhas negativas, é crucial seguirmos nosso instinto e obtermos nossa própria ideia a respeito do livro. No caso, eu gostei do segundo volume de Os números do amor. Não superou o primeiro, não é apaixonante, não foi dos melhores, mas eu gostei.

Como o primeiro volume conta a história de Callie e Gabriel, o Nick já aparece na história, e me deixou encantada. Achei que ele transmitia uma energia vibrante, mas não foi exatamente o que encontrei nesse volume. Pra ser sincera, acho que ele merecia mais da vida. Um homem gentil, paciente, compreensivo, paciente. Já disse paciente? Esse cara merece um troféu, gente.

Isabel é a definição de independência. Ela sempre se virou sozinha e não aceita contar com a ajuda dos outros. É teimosa, batalhadora, determinada, mas de uma teimosa que chega a ser irritante. Ela tem medo de sofrer o mesmo que a mãe, medo de se casar e terminar sozinha, com o coração desolado e abandonada. Medo de confiar excessivamente, medo de traição, medo de se apaixonar. Mas isso não a torna numa covarde. Longe disso! A torna esperta. Se não fosse por isso, a Casa de Minerva não permaneceria sendo um segredo por tanto tempo. Aquelas mulheres estariam na rua e ela seria incapaz de ajudá-las. Só que junto dessa qualidade vem a desconfiança. Ela desconfia de absolutamente todas as intenções dos homens.

Nick e Rock se hospedam na casa para poder avaliar as esculturas, e logo ela acaba se envolvendo com Nick, por mais que tente manter distância. Todas enxergam o quão apaixonados eles estão, mas Isabel se afasta a cada beijo e reluta em lhe entregar seu segredo, por mais que Nick tivesse descoberto assim que entrou na casa. Ele era um caçador por um motivo, afinal. Nada lhe passava despercebido.

Creio que a teimosia de Isabel se torne cansativa por contarmos com 350 páginas. É um jogo exaustivo de assistir. Nick implorando por sua confiança, Isabel se negando e quase o humilhando. Entendem quando digo que Nick é um santo? Haja paciência, senhor!

Fora isso, Isabel é como é por conta das porradas da vida, e ninguém pode julgar isso. Além de que ela não foi educada para se comportar como uma dama. Ela arrumava telhados, fazia o trabalho pesado de casa e lutava pela proteção de suas moças, além de cuidar de um conde de apenas dez anos. Esqueça os bailes e a graciosidade de romances de época; em Dez formas de fazer um coração se derreter, nós vamos acompanhar um romance adulto e bem, beem genioso.

 

FICHA TÉCNICA:

Título: Dez formas de fazer um coração se derreter
Título Original: Ten Ways to Be Adored When Landing a Lord
Autora: Sarah MacLean
Série: Os Números do Amor – #2
Editora: Arqueiro
Formato: Brochura
Edição: 1
Ano de copyright: 2010
Ano de edição traduzida: 2016
Número de páginas: 350
Tradução: Fabiana Colasanti
ISBN: 9788580415292



Carolina Rodrigues, 20 anos, mora em Santos e cursa faculdade de Biomedicina. Adora dançar e ir pra praia, mas o que a faz realmente feliz é poder passar um dia inteiro lendo, vendo séries, escrevendo ou ouvindo música.